domingo, 19 de dezembro de 2010

VASOS DE BARRO


7.Temos, porém, este tesouro em vasos de barro, para que a excelência do poder seja de Deus, e não de nós.
8.Em tudo somos atribulados, mas não angustiados; perplexos, mas não desanimados.
9.Perseguidos, mas não desamparados; abatidos, mas não destruídos;
15.Porque tudo isto é por amor de vós, para que a graça, multiplicada por meio de muitos, faça abundar a ação de graças para glória de Deus.
” II Coríntios 4

Eu particularmente sou apaixonada pelas cartas de Paulo, pelo modo tão sábio que ele consegue descrever o que é realmente ser discípulo do Mestre.

Imagine você um perseguidor de cristãos, daqueles que faz o estilo skin head, que acha simplesmente que o mundo inteiro deveria apenas acreditar em suas verdades.

Você deve estar se questionando agora “Paulo era assim?”
Paulo não, mas Saulo era.
Ele perseguia os cristãos como ratos. Os castigava por acreditarem em uma paz que ele próprio não conhecia.
E de repente, como que por u milagre, Jesus tem um encontro com Saulo e muda sua vida, seus pensamentos, sua ideologia e seu nome.

O velho Saulo carrasco se transforma em Paulo, o amável.
O Paulo que começa a ensinar seus tão queridos filhos na fé como é ser um cristão.
Como ser um perseguido.

Como carregar dentro de nossos corações o tesouro mais precioso que há no Universo. A presença de Deus.

Todos nós sabemos que na casa do Pai cada vaso terá seu devido valor. Vasos para honra, para o trabalho, para o louvor, mas não raramente acordamos tendo a certeza de que somos um dos vasos sem nenhuma importância da casa do Pai. O vaso mais feio, mais barato.

Hoje não quero falar dos vasos de porcelana, prata ou ouro; Não quero falar de vasos caros, esteticamente deslumbrantes ou perfeitos.

Quero falar dos vasos de barro, amassados do pós da terra. Aquele que encontramos em cada loja de variedades, não o achamos bonitos, não temos coragem de pagar um alto preço.

Aquele que representa exatamente como eu e você nos sentimos às vezes.

Talvez você venha se questionando sobre o porquê de se apenas um vaso de barro, sonhando em ter o valor das porcelanas ou querendo brilhar como o ouro, mas o texto de Paulo nos leva a entender que a importância não está no vaso e sim o que há no vaso.

Olhe ao seu redor. Procure vasos, e perceberá que os mais utilizados serão os vasos simples.
O oleiro sabe que é preciso muito cuidado para manejar um vaso de muito valor, e com certeza essa não é a intenção dele conosco.

A intenção é transformar um vaso de barro vazio e um vaso de valor por seu conteúdo.
A excelência não está no vaso e sim no que há no caso.

A excelência não está, e nem deve estar, em ti e sim no Senhor Jesus.
Um vaso dentro da casa de Deus que não tem sua presença não tem um porque de ser, pois onde Ele está nada deve chamar mais a atenção do que sua presença;

Ninguém vai para a igreja buscar o vazio, mas sim algo que o preencha.

Deus quer, e sempre quis, te usar.
Te usar como ferramenta e não como atração principal da festas.
Se Ele te fez como vaso de barro foi exatamente para que a presença d’Ele pudesse refletir em tua vida o poder que Ele tem.

E então talvez você deva estar se perguntando: Mas Naiadi, quer dizer que eu nunca terei meu lugar? Quer dizer que somente Deus vai brilhar? Eu nunca serei reconhecido?

Querido, Paulo mesmo nos diz :
“Porque tudo isto é por amor de vós, para que a graça, multiplicada por meio de muitos, faça abundar a ação de graças para glória de Deus.” II Coríntios 4 v15

Deus foi quem te formou, e te fez dependente de uma graça que só Ele tem.
Quando te formou, fez dentro de ti um espaço que só a presença d’Ele pode preencher.
Ele te ama tanto que deseja te dar a oportunidade de ser usado por Ele, sabendo que somente assim você será completo para multiplicar a graça sobre toda uma geração.

Aceite isso, Ele te fez totalmente dependente de sua presença.
Prova disso é a geração de hoje, que tenta a qualquer custo preencher o vazio que há dentro de seus corações.

Vazio que é exatamente do tamanho da presença de Deus.

Pra finalizar, gostaria que você entendesse que ser usado por Deus não significa estar isento das tribulações, angustias e perseguições.

Você não encontrará nas paginas da bíblia Deus projetando o super-homem ou a Mulher-maravilha.
Encontrará Ele te projetando, e mais que isso,o encontrará preparando pra você a verdadeira vida.

Que a presença de Deus possa resplandecer em nós, pequenos vasos de barro, para que a glória seja toda do Pai.

“.se alguém se purificar, será vaso para honra, santificado e idôneo para uso do Senhor, e preparado para toda a boa obra” II Timóteo 2 v21

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010


Fé. Nunca foi tão difícil falar sobre uma palavra tão pequena.

Fé, segundo o livro de Hebreus, é “o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não vêem” Hebreus 11 v1 , ou seja, ter a certeza sobre aquilo que não é concreto, ou quem sabe provável.

Como Deus não costuma agir sobre o provável, fica fácil entender o porquê a palavra fé se torna o enredo da grande maioria das histórias bíblicas.

Quando se trata de relação pessoal com Deus a fé não passa de uma prova de confiança.

Há uma história que se encontra no capítulo 9 do evangelho de Marcos e nos conta sobre o poder da fé.

Imagine a seguinte cena: Um pai desesperado, um filho aprisionado por espíritos maus, discípulos anêmicos de fé, e Cristo; o que acalma, liberta e alimenta.

Jesus caminhava dentre a multidão quando se pode ouvir o pedido do pai desesperado. Seu filho estava aprisionado por um espírito mudo que o despedaçava, fazia com que se debatesse e chegasse ao ponto de espumar, nas garras do mesmo espírito o garoto se lançava sobre o fogo.

Buscando por uma saída o pai já havia procurado a ajuda dos discípulos, porém eles não puderam expulsar o espírito. ( Marcos 9 v17 e 18)

Não, você não leu errado. Os discípulos não puderam expulsar o espírito.

Confesso que ao ler o texto me assustei. É difícil entender como os discípulos, aqueles que andavam ao lado de Cristo e presenciavam seus milagres, não podiam ter autoridade para libertar o garoto de tal mal.

Ainda mais, porque pouco tempo antes Jesus havia se transfigurado diante deles, e eles puderam contemplar quão grande é a glória de Deus.

Agora, para mim, a reação de Jesus foi ainda mais surpreendente.

Ao ouvir que seus discípulos não puderam ordenar sobre o espírito o Mestre responde:
Oh geração incrédula! até quando estarei convosco? até quando vos sofrerei ainda?...” Marcos 9 v19

Ao contrário do que muitos imaginam Jesus não estava apenas advertindo seus seguidores, mas sim se preocupando com eles.

Note que uma das perguntas foi “até quando vos sofrereis ainda?”

Essa frase só me fez entender que Jesus quer que tenhamos fé para que nosso sofrimento seja amenizado.

Nós precisamos de fé, Deus não.
Deus é capaz de agir em suas duvidas e sofrimentos independente de sua fé. Mas você não é capaz de ver as ações de Deus se não acreditar.

Quando a bíblia nos fala que “sem fé é impossível agradar a Deus” Hebreus 11 v6 está apenas nos dizendo “Sem fé você sofrerá, e seu sofrimento nunca agradará a Deus”

O sofrimento daquele pai não agradava e nunca agradaria a Jesus, justamente por isso ele lhe respondeu “Se tu podes crer, tudo é possível ao que crê.” Marcos 9 v23

E logo o pai do menino, clamando, com lágrimas, disse: Eu creio, Senhor! ajuda a minha incredulidade." Marcos 9 v24
Para alcançar a ajuda divina não é necessário vestir a capa de super homem ou super mulher.
Não foi assim com o pai que pediu pelo socorro de Cristo e não precisa ser assim com você.
Não existe ninguém mais capacitado para entender seus receios do que Aquele que te criou.
Quando o pai reconheceu que precisava do Mestre até para acreditar no milagre, recebeu o milagre duplo. Seu filho foi liberto e seus olhos espirituais foram abertos.

Através da fé, pecados foram perdoados, enfermos foram curados, caminhos abertos...

Ter fé não é apenas acreditar que Deus pode agir, e sim acreditar que pode agir em nosso favor.

Imagine só o que Deus poderia operar em tua vida se dentro do seu coração fosse acrescentado um pouco mais de fé?


Se tivésseis fé como um grão de mostarda, diríeis a esta amoreira: Desarraiga-te daqui, e planta-te no mar; e ela vos obedeceria.” Lucas 17 v6

Diria, aos teus problemas, Deus pode resolvê-los e Ele te ajudaria,
Diria a enfermidade, Deus pode me curar, e ela iria embora.
Diria à tua angustia, Deus alegrará meu coração, e se encheria de alegria,
Diria a todas as suas dúvidas, Deus me guiará pelo melhor caminho, e tudo se tornaria claro...

Para lhe escrever este texto precisei acreditar que Deus é capaz de agir sobre suas causas.

Experimente você também confiar, Experimente ter fé.

domingo, 28 de novembro de 2010

ESCOLHAS


Este texto começou com uma escolha.
Escolhi o tema, escolhi buscar as palavras certas e escolhi enviá-lo a você.
Este é o princípio do tal livre arbítrio, você é livre pra escolher.

Escolhi falar sobre escolhas por olhar um pouquinho ao meu redor e perceber quão grande é o numero de pessoas sofrendo hoje por escolhas erradas do passado.

O menino que escolhe dar a primeira tragada,
aquele que escolhe apertar o gatilho,
a menina que escolhe se prostituir,
aquele que escolhe viver como se Jesus não tivesse morrido ...

A bíblia, ao oposto do que muitos imaginam, não é um livro que conta a história de pessoas perfeitas.
Muito pelo contrário, ela nos fala sobre vidas que também sofreram com alguma escolha errada em algum momento.

Pedro que escolheu negar a Jesus enquanto Ele estava sendo crucificado,

Paulo que antes escolhia perseguir os cristãos,

Mateus que antes escolhia roubar o dinheiro dos trabalhadores,

Jonas escolheu fugir quando Deus o mandou pregar em Nínive,

José escolheu abandonar Maria assim que soube que ela estava grávida,
...

Comecei então a analisar quais seriam os motivos que nos levam a escolher, e percebi que o peso maior em nossas escolhas está nas vantagens que elas nos trazem.

Então me diga, qual é a desvantagem de seguir os passos de Cristo?

Quando nos sentimos fracos Ele é a nossa força
O SENHOR é a minha força e o meu escudo; nele confiou o meu coração ...” Salmos 28 v7

Quando estamos tristes Ele é nossa alegria
... Deus lhe enche de alegria o seu coração.” Eclesiastes 5 v20

Quando nos sentimos sozinhos é Ele quem não nos desampara
Porventura pode uma mulher esquecer-se tanto de seu filho que cria, que não se compadeça dele, do filho do seu ventre? Mas ainda que esta se esquecesse dele, contudo eu não me esquecerei de ti.” Isaías 49 v15

Ele nos conhece
SENHOR, tu me sondaste, e me conheces. Tu sabes o meu assentar e o meu levantar; de longe entendes o meu pensamento.” Salmos 139 v1 e 2

Nos salva
Ele salva, livra, e opera sinais e maravilhas no céu e na terra; ele salvou e livrou Daniel do poder dos leões.” Daniel 6 v27

Nos cura
E Jesus lhe disse: Eu irei, e lhe darei saúde.” Mateus 8 v7

Nos ama
Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.” João 3 v16

Então o que leva alguém a optar pela solidão ao invés da salvação?

O que te leva a escolher preencher sua vida de vazio ao invés da alegria que somente Cristo pode nos oferecer?

Ele mesmo escolheu que morreria em seu lugar somente para transformar seu cativeiro em liberdade.

Foi Ele quem mudou o rumo da história dos personagens acima citados.
Foi Ele quem ofereceu uma secunda opção. Foi Ele que lhes deu uma nova chance.

Pedro escolheu receber o perdão do Mestre,
Paulo escolheu ser um dos maiores missionário da história,
Mateus escolheu seguir a Cristo assim que recebeu o convite,
Jonas escolheu obedecer a voz de Deus e então pregou a mensagem que salvou toda uma cidade,
José dar crédito ao que o anjo lhe falará e então recebeu dentro de sua casa a presença do Filho de Deus,
...

Mesmo sem oferecermos nenhuma vantagem Cristo escolheu ir até as ultimas conseqüências somente para te ver sorrir.

Todos nós, sem exceção, somos escolha do Mestre. Ele mesmo nos conta “Não me escolheste a mim, mas eu escolhi a vós...” João 15 v16

Não conheço ninguém que tenha escolhido entregar seus caminhos ao Senhor e tenha se frustrado.

Desde que escolhi segui-lo minha vida nunca mais foi a mesma.

Então porque você não escolhe deixar todo esse peso de lado?
Deus é educado de mais pra invadir seu coração, cabe a você escolher abrir a porta.

"Eis que estou à porta, e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo" Apocalipse 3 v20

domingo, 21 de novembro de 2010

JUIZ DE MISERICÓRDIA


Todos tinham um motivo para julgá-la. Ela foi pega em adultério e isto sim era pecado para morte.
A lei era clara, e agora, seu futuro, ou seu fim, estava traçado.
Talvez nem ela mesma acreditasse que havia uma saída.
Mas seu julgamento não foi semelhante ao das outras mulheres pegas no mesmo pecado. Desta vez o juiz era diferente.

O tribunal era ali mesmo no Templo. Jesus estava dando uma de suas aulas de bondade quando ela chegou.
A colocaram no meio de todos e então o caso foi apresentado ao juiz “Mestre, esta mulher foi apanhada, no próprio ato, adulterando.” João 8 v4

Enquanto todos já começavam a erguer suas pedras Jesus se abaixa e começa a escrever na areia.
Ele não apóia as atitudes da mulher, Ele não diz que não há problemas em errar, Ele simplesmente começa a escrever na areia.

Ouso imaginar que a palavra escrita naquele dia foi “misericórdia”, pois, segundo a palavra de Deus esta é a única causa de não sermos consumidos pelo pecado. Lamentações 3 v22

As acusações contra a mulher não cessaram, o julgamento estava prestes a terminar de forma trágica, quando Jesus define sua sentença: “Aquele que de entre vós está sem pecado seja o primeiro que atire pedra contra ela.” João 8 v7

Foi aí que o julgamento terminou.
A misericórdia foi derramada e toda a acusação contra aquela mulher ficou nas palavras escritas na areia.

Agora não havia mais nenhum acusador.
E, endireitando-se Jesus, e não vendo ninguém mais do que a mulher, disse-lhe: Mulher, onde estão aqueles teus acusadores? Ninguém te condenou?

E ela disse: Ninguém, Senhor. E disse-lhe Jesus: Nem eu também te condeno; vai-te, e não peques mais.


É assim que o misericordioso juiz age conosco.
Mesmo sendo perfeito Ele não nos julga. Tendo todos os motivos do mundo para nos acusar Ele não nos condena.
Muito pelo contrário, a bíblia nos garante que “agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus” Romanos 8 v1

Quando começamos a nos perder em meio às trevas do pecado, é a luz da misericórdia do Senhor que ilumina nossos passos e não nos deixa cair.

Só entendemos o significado da palavra misericórdia quando de fato precisamos dela.
E talvez esta seja sua situação atual.

Talvez sua biografia esteja semelhante a da mulher história de hoje.
Seus acusadores te cercaram,
Seus segredos descobertos,
Suas falhas se tornaram públicas.

As pedra começaram a ser apontadas e você não consegue ver a saída da armadilha que você mesmo se deixou prender.

O mundo quer que você acredite que não há mais saída, a vida quer te mostrar que seus erros não podem ser revertidos em benção pra sua vida, mas esta não é verdade querido.

Hoje eu tenho uma boa notícia pra você.
O mesmo amor que libertou a mulher de toda condenação é o amor que te chama a ser livre.

Jesus não livrou a mulher apenas dos acusadores, Jesus a livrou da vida de pecado.
Ele mudou o rumo de seu julgamento, e é exatamente isto que deseja fazer com você.

Livre do pecado,
Livre do abandono,
Livre pra viver uma vida plena.
Não uma vida sem problemas, mas uma vida que venha da fonte de vida eterna que é Jesus.

Depois do encontro com o Mestre a mulher não houve mais condenação para aquela mulher.
Ela se tornou verdadeiramente livre..
Você também pode ser.

Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres.” João 8 v36

domingo, 14 de novembro de 2010

MÉDICO JESUS


No decorrer desta semana somente um tema inquietou meu coração. Cura.

Vi irmãos na fé sofrendo com dores no corpo e no coração, e decidi que o tema deste texto seria Ele ainda pode curar.

Então lá fui eu, buscar entre as muitas paginas da bíblia qual seria o milagre perfeito pra demonstrar a transformação da dor em sorrisos de alegria.

Fui até os livros do novo testamento e comecei a ver alguns dos milagres que Jesus operou.

Lembrei-me do leproso que acreditava que somente a vontade de Cristo poderia o limpar (“Senhor, se quiseres podes me tornar limpo” Mateus 8 v 2) e então passou a não ser mais rejeitado por sua doença.

Ou então a mulher do fluxo de sangue que optou por rastejar entre uma multidão para poder tocar na orla de Jesus e “Chegando por detrás dele, tocou na orla do seu vestido, e logo estancou o fluxo do seu sangue” Lucas 8 v 44

Pensei em escolher a história de Bartimeu, o cego que clamava “Jesus, filho de Davi, tem misericórdia de mim.” Mateus 10 v 47, e que depois do clamor pode ver a face de Cristo porque havia sido curado.

Porque não contar sobre o paralítico que obteve de Jesus no mesmo dia dois milagres? Recebeu o milagre da cura e o milagre da libertação de seus pecados Mateus 9 v1 ao 6

Talvez devesse mencionar a cura que sobreveio ao coração da mulher que quando prestes a ser apedrejada foi salva pela frase “Aquele que de entre vós está sem pecado seja o primeiro que atire pedra contra ela” João 8 v7
...

Procurei dentre todos estes milagres e não consegui.

Não foi possível escolher um só que pudesse representar o tamanho da dádiva que representa ser curado pelo mestre.

Foi quando me lembrei, havia sim uma história capaz de descrever toda a dádiva de cura. E se eu fosse então começar contá-la ela seria assim:

Verdadeiramente Ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido. Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados” Isaías 56 v 4 e 5

Sabe o que isto significa querido?
Significa que Cristo resolveu carregar sobre a cruz todas as dores que poderiam oprimir a tua e a minha vida, inclusive esta que você sente agora.

Eu não poderia descrever somente uma cura neste texto porque a beleza do milagre não está na enfermidade e sim no médico Jesus.

Somente este médico pôde se tornar especialista em todas as áreas da medicina.

Só Jesus foi capaz de curar o leproso, a mulher do fluxo de sangue, Bartimeu, o paralítico, corações feridos, vidas oprimidas,...

E por mais que muitas vezes você se esqueça, Ele é o único capaz de curar suas dores, não importando qual seja sua enfermidade, e capaz de sarar seu coração angustiado.

Limpa seus olhos de toda a cegueira espiritual, cura todas as hemorragias de seu interior, e limpa todas as dores que insistem em escurecer seu coração.

Esta é a especialidade d’Ele. Cuidar de você.

Deus não nos criou para sermos independentes. Ele nos fez para que pudéssemos nos apoiar em seu amor.

Deu-nos vida, e vida em abundancia. E somente quem te deu esta tal vida é capaz de restaurar sua vida.

A bíblia nos conta que foi Ele quem resolveu tomar sobre si todas as nossas dores, e nos pede também para que lancemos sobre Ele todas as nossas ansiedades, não se esqueça que para Deus tudo é possível.

Não há nenhuma doença que Ele já não tenha carregado sobre seus ombros, não há dor que Ele já não tenha conhecido, assim como também não há milagres que Ele não possa realizar.

A única receita do médico Jesus já se encontra prescrita nas páginas da bíblia “Lance sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós” I Pedro 5 v 7

Aos homens é isso impossível, mas a Deus tudo é possível” Mateus 19 v 26
Se tu podes crer, tudo é possível ao que crê” Marcos 9 v 23

domingo, 7 de novembro de 2010

SE EU PUDESSE VOLTAR ATRÁS ...


Disse-lhe Jesus: Em verdade te digo que nesta mesma noite, antes que o galo cante, três vezes me negarás” Mateus 26 v 34.


“E lembrou-se Pedro das palavras de Jesus, que lhe dissera: Antes que o galo cante, três vezes me negarás. E saindo dali chorou amargamente” Mateus 26 v 75.


Ele mudou minha vida.
Eu o conheci junto ao mar da Galiléia. Eu e meu irmão André estávamos cansados por termos passado a noite inteira no mar. Trabalhamos duro aquele dia e nada, nenhum peixinho se quer havia caído em nossas redes.


Foi ali, no meio de nossa decepção e cansaço que Ele apareceu, subiu em meu barco e me mandou voltar para o mar.
(Lucas 5)

Confesso que eu não acreditava no que Ele estava me mandando fazer, afinal de contas, Jesus era muito bom com as palavras, mas eu era o pescador da história. Eu havia passado a madrugada no mar durante anos da minha vida. Eu sabia exatamente o que estava fazendo.

Quis deixar bem claro todo o meu pensamento sobre a ordem que Ele havia me dado “Mestre, havendo trabalhado toda a noite, nada apanhamos; mas sobre a tua palavra, lançarei a rede” Lucas 5 v5

Para minha surpresa, as redes não agüentaram de tantos peixes que conseguimos pescar.
Aquele era apenas mais um dos muitos milagres que eu presenciaria ao seu lado.
Foi ali que comecei a seguir os passos de Cristo.


Desde então passei a viver o extraordinário.
Presenciei paralíticos andando, cegos enxergando, pessoas sendo libertas, vidas transformadas, até andei sobre as águas. Um amor além de qualquer entendimento.



Ele me amou a tal ponto que mudou minha profissão, de pescador de peixes passei a ser pescador de almas.
Nunca entendi por que Ele escolheu me amar.


Sabe, se perguntarem a qualquer um o nome do discípulo mais polêmico de Cristo, sei que a resposta será PEDRO. Mesmo assim, Ele me quis por perto.

E sabe como eu retribuí tamanho amor? Com traição.

Ele me disse que eu iria negá-lo, mas como eu adivinharia que meu medo me levaria a tal ponto?
Ah se eu pudesse voltar atrás!


Essas lágrimas que você pode ver em meu rosto são lágrimas de amargura por ter traído a pessoa que mais me amou.
Eu sou Pedro, e acabou de negar a Jesus.


Pude sentir a agonia de Pedro ao escrever estas palavras.
Você pode procurar no evangelho mas não encontrará esse desabafo vindo do homem que andou sobre as águas.
Mesmo assim, não foi nada difícil imaginar o discípulo fazendo tais declarações.

Eu mesma conheço essa história.
Jesus também mudou minha vida e me fez viver o extraordinário, mesmo assim, diariamente me pego negando seus mandamentos e preceitos de vida.

Logo depois, o coração é assolado pela mesma sensação.
Você sabe de que sensação estou falando?

Paulo sabia. Ele nos conta em uma das suas cartas “Porque não faço o bem que quero, mas o mal que não quero esse faço.” Romanos 7 v 19

E é assim com todos nós. Sabemos o certo e nos esforçamos para ignorá-lo.

Logo após o erro, sentimos a mesma tristeza, a mesma angustia, a mesma amargura que Pedro sentiu.

Então, quando tudo está praticamente perdido, quando vestimos a camisa de fracasso do mês, lá vem o Mestre como todo o seu amor incondicional e transforma nossa traição em motivo para amá-lo cada dia mais.

Foi assim também com Pedro.

Depois da ressurreição Jesus aparece aos discípulos e tem uma conversa especial com aquele que especialmente precisava de dEle.


... disse Jesus a Pedro: Pedro, tu me amas mais do que estes? E ele respondeu sim Senhor Tu sabes que te amo ... ”João 21 v15


Jesus repetiu esta mesma pergunta a Pedro por três vezes.

Três vezes Pedro o negou, três vezes Jesus recebeu seu amor.
Foi como se Jesus estivesse dizendo três vezes você me negou, três vezes te perdoei.

Jesus sabia que Pedro o negaria, assim como ele também sabe exatamente onde estão suas falhas. E é aí que se encontra o maior carinho de Jesus por sua vida, você nunca irá decepcioná-lo.

Não há problemas em cair querido, o problema está em não querer mais levantar. E foi este erro que Pedro não cometeu e assim se tornou um apascentador das ovelhas de Cristo.

Você não pode voltar atrás, mas o Pai de amor pode reescrever sua história.

Um Deus que te formou é capaz de compreender todas as suas limitações, e é este mesmo Deus que hoje te chama a deixar de lado toda esta culpa e segui-lo.

Foi exatamente este o convite que Ele fez a Pedro " ... E, dito isto, disse-lhe: Segue-me." João 21 v 19.
Pedro o seguiu e então tornou a viver o extraordinário de Deus.

É exatamente isto que Ele ainda espera que você faça.
Ele ainda te chama.
Ele ainda espera.

O SENHOR é longânimo, e grande em misericórdia, que perdoa a iniqüidade e a transgressão” Números 14 v 18a

domingo, 31 de outubro de 2010

ATÉ QUE PONTO VALE A PENA?


Para os que não me conhecem , ou os que nunca perceberam, tenho muitas cicatrizes, todas elas dignas de uma boa história pra contar.

Uma em particular chamou minha atenção nesta semana.

Quando tinha aproximadamente oito anos resolvi começar a experimentar a ciência. Nesta época meus pais trabalhavam fora o dia todo, e meu irmão estudava a tarde. Como eu estudava de manhã, passava as tardes sozinha.

Naquela tarde em especial, eu estava um pouco mais entediada que o normal e então resolvi brincar.
As bonecas se tornaram cansativas, a televisão ainda mais.
Quando fui à cozinha apanhar algo para comer consegui enxergar algo mais interessante, o fogo.

Confesso que pensei dez vezes antes de pegar a caixinha de fósforos, mas que mal poderia me causar?
Eu sabia que o fogo era perigoso, portanto tomaria o máximo de cuidado.

Comecei a acender e apagar os fósforos, aquela brincadeira com certeza era mais divertida.
Com o passar do tempo resolvi que já estava na hora de passar de nível. Comecei então a procurar itens que pudessem ser queimados.
Abri gavetas, potes, armários, quando de repente avistei.
Em cima da estante estava minha tiara de cabelo predileta. Ela era feita de bolinhas de plástico que imitavam perolas.
Sem pensar muito a peguei, e então me preparei para minha grande experiência.

Não é que a tiara não fosse importante pra mim, mas a vontade de me arriscar no momento era maior.
Respirei, pensei, e então lá fui eu para minha “incrível” aventura.

Não tive tempo nem de aproveitar o momento. A gota de plástico derretida grudou imediatamente em meu dedo e a dor que senti não foi bem a sensação que estava buscando.

Hoje, quando conto aos meus colegas o motivo da marca em meu dedo a história pode até parecer engraçada, mas a frustração que senti na hora por ter perdido ao mesmo tempo minha tiara, minha diversão, e um pedacinho da minha pele não foi nada divertida.

Será que valeu a pena?

Agora você talvez esteja se perguntando, aonde ela quer chegar com isso?
Digamos que encontrei uma história parecida na bíblia.

Você encontra esta história no capítulo 15 de evangelho de Lucas.

Ela conta sobre um garoto que também buscava algo mais.
O caçula um belo dia resolveu que não desejava mais ficar na casa do pai, talvez as coisas haviam se tornado monótonas por lá, talvez ele estivesse querendo um pouco mais de diversão.

O motivo real a bíblia não menciona, mas ela nos conta que ele pediu tudo o que lhe pertencia.
O pai respeitou a vontade do filho, dividiu seus bens e então o garoto partiu.

No começo a diversão era total. Dinheiro para aproveitar a vida sem regras, diversão, fartura. Não haviam motivos para reclamações.
Mas o tempo passou e o dinheiro acabou.

Sem dinheiro e sem ter para onde ir o garoto resolveu então buscar trabalho, e encontrou como guardador de porcos.
Sua fome chegou a tal ponto que desejou comer a mesma comida que os porcos comiam.

A fome veio, e a saudade da situação antiga começou a bater à porta do coração.

A ferida já estava feita, seus bens mais preciosos já estavam sacrificados, a aventura não tinha valido a pena.
Talvez a vontade de brincar com o desconhecido agora já não existisse mais.

Foi aí que o filho resolveu se lembrar da mesa farta da casa do pai, da casa aconchegante, da voz do pai lhe dizendo “Te amo”.
O filho voltou pra casa e então foi recebido pelo pai de braços abertos.

As feridas tornaram-se cicatrizes, a fome foi saciada e um amor novo nasceu no coração tanto do pai quanto do filho.

Tudo bem, na época da brincadeira eu não tinha a real noção do que a junção de plástico e fogo poderia fazer comigo, mas e quantas vezes não fazemos a mesma coisa em nossas decisões?

Quantas vezes não abrimos mão de algo especial para experimentarmos a sensação da adrenalina que o mundo nos oferece?
Abrimos mão de pessoas especiais,
de caminhos corretos,
de princípios,
da presença de Deus.
...
E a minha pergunta é: Até que ponto vale à pena?

A bíblia nos conta que “As coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu, E não subiram ao coração do homem, São as que Deus preparou para os que o amam." 1Coríntios 2 v9 e "desde a antiguidade não se ouviu, nem com ouvidos se percebeu, nem com os olhos se viu um Deus além do Senhor Deus, que trabalha para aquele que nele espera.” Isaías 64.4

Ou seja, os planos de Deus pra sua vida são muito maiores e melhores do que você já ousou imaginar.
Nada e nem ninguém poderá te oferecer tamanha satisfação.

Deus sempre te amará.
Independente do numero de cicatrizes, frustrações, mágoas ou medos que você carregue consigo ele sempre te esperará de braços abertos.

Mas qual é o Pai que deseja que o filho aprenda da maneira mais dolorosa?
Enfim, até que ponto vale à pena?

Hoje depois de cicatrizes no corpo e na alma aprendi a responder a pergunta.
Hoje posso dizer: Não vale a pena arriscar se não for pra pular nos braços do Pai.

domingo, 24 de outubro de 2010

AMOR ALÉM DOS DEFEITOS


Mangas da blusa arregaçadas, cabelo preso, e lá vou eu para mais um texto.
É sempre assim, esse é o meu jeito particular de me preparar para colocar todas as muitas idéias que surgem durante a semana, em um texto com uma linha de raciocínio que não te faça dormir.

Esse é o meu jeito particular de agir, ninguém me ensinou a ser assim.
E é esta a idéia que consegui captar.

Não é muito difícil de entender que Deus adora nosso jeitinho particular de ser.
É só olhar para uma família cheio de filhos, não haverá nenhum igual ao outro, mesmo que sejam gêmeos.

Isto só me faz concluir uma coisa: Deus é a fonte da criatividade.

Foi Deus quem planejou que Davi, o menino ruivo de belos olhos e gentil aspecto (1 Sam 16 v12), seria ousado ao ponto de desafiar um gigante que daria o triplo do seu tamanho.

Davi havia começado como um simples pastor de ovelhas. Ele sobreviveu vários anos de perseguição por um rei cismado em matá-lo. Ele lutou depois contra vários inimigos e venceu todos.

Mesmo com tantas vitórias Davi nunca foi um homem perfeito. Poderia até ser um ótimo rei, mas pecava em ser um pai de família.

Pecou no caso do adultério com Bate-Seba, pecou com a morte de Urias (2 Sam 1). E outras falhas e fraquezas que demonstrou.

Contudo nenhum outro foi chamado de homem segundo o coração de Deus (Atos 13 v22); ou seja, o coração de Deus se alegra quando somos nós mesmos.

A bíblia esta repleta de histórias que nos provam isto.

Pedro e sua personalidade forte – O discípulo que mais confronta Jesus.
Paulo e sua obstinação – O missionário que levou o amor pelo evangelho de Cristo por onde passou, sem se importar com as conseqüências. Sem se importar com a morte.

Samuel e sua persistência – Aquele que não sossegou enquanto não ouviu o que Deus tinha para lhe falar.
Abraão e sua obediência – O homem que se dispôs a dar seu filho amado para obedecer ao pedido de Deus.
Josué e sua coragem – O líder que confiou em Deus a ponto de parar o sol.
...
E acredite, todos eles foram tão humanos quanto eu e você. Todos pecaram, todos em algum momento da vida se cansaram, todos já ousaram pensar se valeria à pena.

Mas isto não foi um empecilho para os planos de Deus. Muito pelo contrário, Deus acaba usando as particularidades de cada um para cumprir em nós seu propósito.

Imagino o sorriso do Pai ao ver cada um de seus personagens, usando suas peculiaridades, para realizar os planos de Deus.

Foi nesta parte da análise que me perguntei: “Quer dizer que Deus sabe o quanto sou teimosa e orgulhosa?”

E a resposta foi clara: Sim Ele sabe.

Sabe também que você tem seus muitos defeitos. Ele te fez assim, e mais do que isto, Ele te escolheu assim.

É como a velha história do menino que vai à loja de animais e escolhe o cachorrinho com problemas na pata. O garoto não busca o problema ele vai buscar um amigo, e o encontra no cachorrinho diferente dos outros.

Ou então alguém que compra um velho carro para poder reformá-lo e então mostrar aos outros a potência de seu motor.

E o mais amável para mim em saber que Deus me escolheu, mesmo sendo alguém com defeitos, é que eu nunca o decepcionarei, pois Ele sabe exatamente até que ponto eu posso agüentar.

Ele não espera de mim algo além do que posso lhe oferecer.

Assim como também não espera de você.
Ele conhece tuas dificuldades.
Sabe que você talvez tenha problemas em falar em público,
Em demonstrar teu carinho,
Em abrir mão dos teus vícios,
Em pedir perdão,
Em reconhecer teus erros,
Em ter coragem para ir na contra-mão do mundo ...

Agora se havia algo a ser chamado de plausível em Davi era sua capacidade de reconhecer que precisava de Deus. Deus honrava isto em Davi e então se agradava de seu coração.

O que une todos os nomes citados neste texto é a misericórdia de Deus que nos deu amor. “Mas Deus, que é riquíssimo em misericórdia, pelo seu muito amor com que nos amou,” (Rom 8 v37)

Somente alguém tão perfeito quanto Deus poderia entender e escolher para amar alguém tão imperfeito como Davi, Pedro, eu ou você.

domingo, 17 de outubro de 2010

PORTADORES DA GRAÇA


Marly já tinha duas filhas, Kátia e Kelen com 20 e 17 anos respectivamente.
Kátia estava preste a se casar então Marly e seu esposo acharam que a casa ficaria vazia de mais.
O casal se inscreveu na vara da infância à procura de uma criança um pouco maior. Alguns meses depois ele chegou.

Ele não era e nunca foi a criança que todos sonharam um dia em ter. Ao olhar para os seus traços já dava pra perceber os olhinhos puxados típico de quem tem síndrome de down.

Gabriel não falava, não andava, tinha problemas de visão e de audição, usava fraldas e se arranhava muito em função do ambiente violento em que vivera. Ele tinha 6 anos e havia sido retirado de casa por sofrer maus-tratos.

Foi amor a primeira vista. Marly e seu esposo o levaram para casa e passaram a cuidar de Gabriel.

Em seu aniversário de sete anos Gabriel ganhou uma festa de aniversário. Ele estava tão feliz que mal podia caber dentro de si.

Hoje, aos 12 anos, é um menino calmo e feliz. Vai à escola – está no 4º ano –, anda, conversa, há tempos se livrou das fraldas, come sozinho, não se machuca mais e conseguiu recuperar uma das vistas.

Achei esta história por acaso enquanto procurava inspiração na internet, e no mesmo instante que a li recebi um banho de empatia por Gabriel.

Uma criança que já nasceu com sua malinha de dificuldades um tanto mais pesada que a das crianças normais. Chegou a um lar que lhe ofereceu como incentivo de vida uma seqüência incontável de traumas e medos.

Fico me perguntando, o que teria acontecido com Gabriel caso Marly não tivesse aparecido?
Afinal de contas Gabriel nunca foi um futuro promissor para a família, Gabriel não era fonte de carinho ou amor. Gabriel era um poço de traumas.

Talvez você ao olhar para um garoto com os traços como os de Gabriel não conseguisse enxergar nada além da cicatrizes e deformações, mas o amor de Marly por ele existiu e tal amor conseguiu ver um coração escondido atrás da carcaça assustada.

As pessoas viam um portador de deficiência Marly via um portador da graça.

Jesus fazia o mesmo com seus seguidores:

O mundo enxergava um coletor de impostos corrupto que não era digno de confiança. Jesus visualizava Mateus, o discípulo que mais tarde contaria sua história. Mateus 9 v9 – Jesus cedia a Mateus a graça de andar lado a lado com o Mestre.

O mundo via uma mulher cheia de marcas de adultério que merecia ser apedrejada. Jesus visualizava uma vida a ser transformada. João 8 – Jesus cedia a mulher a graça de ser salva de seus acusadores.

A sociedade via um cego sem chances de mudanças. Jesus via Bartimeu, alguém que merecia o ver frente a frente. Marcos 10 v46 – Bartimeu recebia de Jesus a graça olhar o rosto de Cristo.

E assim, eu poderia seguir com a interminável lista até chegarmos a você.

Você se lembra da história, não se lembra?

O mundo via suas limitações :
as notas que você não conseguia alcançar,
os amigos que você não conseguia fazer,
os medos que você não conseguia superar,
os vícios que te aprisionavam,
os erros que você cometeu,
os sonhos que você nunca realizou
a lista incontável de motivos que faziam de você alguém sem muitas chances de resgate ...

Mas, pela misericórdia do Pai de amor você teve uma história semelhante a de Gabriel.
Alguém com um amor incondicional achou que seria bom cuidar de você. Este alguém conseguiu transformar sua lama em matéria prima para uma obra de arte.

Assim como Jesus quando escolheu morrer por você, quando Marly escolheu cuidar de alguém como Gabriel ela não estava optando pela solução mais fácil, e sim a mais amável.

Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados.Isaías 53 v5

Considerando que Graça é um favor imerecido, tanto Gabriel quanto nós temos em nossos peitos faixas que dizem “Fui agraciado por um gesto de amor”.

Marly não precisava escolher uma criança com down e Jesus não foi obrigado a dar sua vida para te salvar. Sabemos disso. Ambas atitudes soam como presentes.

Presentes destinados a despertar a duvida : Fizeste isto por mim?
Nesta semana li um texto que despertou em meu coração tal sentimento:


Compreendo a necessidade de sangue.
Seu sacrifício eu abraço.
Mas a esponja amarga, a lança transpassando, o cuspe em seu rosto?
Tinha que ser uma cruz?
Não havia morte mais amável do que seis horas pendurado entre a vida e a morte, tudo isto regado a um beijo de traição?
- Oh Pai, - diz você com o coração tranqüilo,
- Desculpe perguntar, mas preciso saber, fizeste isto por mim?


Se você se esforçar um pouquinho talvez consiga ouvir milhões de pessoas que hoje fazem a mesma pergunta – Jesus, fizeste isto por mim?

Eu, portadora da graça de Cristo, com certeza sou uma delas.

Creio que sendo a pergunta feita por mim ou por Gabriel as respostas seriam muito semelhantes.

Agradeço a Deus por poder ouvir a doce voz que ressoa em meu coração: Fiz tudo isso por você e faria tudo novamente pra poder te ver crescer ao meu lado. Te dei de presente a graça de viver e ser livre.

" Mas pela graça de Deus sou o que sou; e a sua graça para comigo não foi vã, antes trabalhei muito mais do que todos eles; todavia não eu, mas a graça de Deus, que está comigo." I Coríntios 10 v 15

domingo, 10 de outubro de 2010

ALGUÉM COMO EU E VOCÊ


A bíblia me conta que Ele se fez carne e habitou entre nós. João 1:14
Ele não veio como rei, não se assentou entre os nobres nomes da época, não foi aclamado como um pop star.

Se Ele estivesse hoje caminhando pelas ruas, muito provavelmente você não o reconheceria. Ele vestiria jeans e camiseta, não seria um dos homens mais atraentes ao caminhar em meio a multidão, não despertaria curiosidade.

Ao contrário do que muitas pessoas imaginam, Jesus era um nome bastante comum pra época.
Na chamada da escola ele não deveria ser o único.
Jesus é derivado do Josué, que foi um nome mencionado já no velho testamento.
O que me permite imaginar que se Jesus estivesse entre nós ele poderia se chamar José, Gabriel, Pedro, Gustavo ...

Descobri a pouco tempo que Barrabás, aquele que foi liberto no lugar de Jesus, também se chamava Jesus. Isto evidencia que Jesus não era e nunca foi um nome de Rei.

Você não encontrará um Jesus clamando por seguidores. Ele nunca quis se tornar uma estátua pregada na parede da igreja ou uma foto que circula na internet. Ele queria somente se tornar tão humano quanto você, sentir tuas dores, saber o peso da responsabilidade que você carrega por existir.

Estudando a palavra de Deus notei que Jesus sempre deu muito valor a eventos como casamentos, velórios e jantares. O único elemento que unia todos os personagens destes eventos era o “estar lá". Jesus priorizava sua presença às pessoas.

Se você o convidasse para ir à sua casa Ele provavelmente iria, te escutaria falar com uma atenção que talvez você nunca tenha recebido, te faria sorrir, riria de seus comentários, talvez contasse piadas, encantaria sua família com sua educação e sensibilidade, faria tudo para que você o convidasse novamente.

Sabe por quê?

Porque Ele sempre quis ser seu amigo.
Ele sempre quis estar contigo. Tornou-se humano também para isso.

Ele também sentiu fome
" E, depois de jejuar quarenta dias e quarenta noites, teve fome." Mat 4:2

Também teve sede
"Depois, vendo Jesus que tudo já estava consumado, para se cumprir a Escritura, disse: Tenho sede!" João 19:28

Também foi pobre
"... Senhor Jesus Cristo, que, sendo rico, se fez pobre por amor de vós, para que, pela sua pobreza, vos tornásseis ricos." 2Cor 8:9

Não tinha uma casa
"Mas Jesus lhe respondeu: As raposas têm seus covis, e as aves do céu, ninhos; mas o Filho do Homem não tem onde reclinar a cabeça."Mat 8:20

Passou por humilhações
" Logo a seguir, os soldados do governador, levando Jesus para o pretório, reuniram em torno dele toda a coorte. Despojando-o das vestes, cobriram-no com um manto escarlate;" Mat 27:27-28

Chorou
"Jesus chorou." João 11:35

Sentiu-se desamparado
"Por volta da hora nona, clamou Jesus em alta voz, dizendo: Eli, Eli, lamá sabactâni? O que quer dizer: Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?" Mat 27:46

Tem como alguém te entender melhor?
Nome comum, família comum, profissão comum, roupas comuns, alguém como eu e você.

Alguém tão bem educado que hoje aguarda o convite para entrar em seu coração, pintar sorrisos em suas paredes, esvaziar teu baú de mágoas, salvar sua vida e caminhar contigo, lado a lado, para todo sempre.

Não deixe alguém tão especial do lado de fora.

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

NÃO FOI BEM ASSIM QUE EU IMAGINEI ...



Conheço um casal com uma história emocionante de amor.

Eles eram adolescentes, já estavam com o casamento programado quando veio até ele a notícia bombástica: Ela estava grávida e o filho não era dele.

O rapaz tinha um amor tão grande pela moça que começou a pensar em maneiras de ocultar o termino do namoro para não expor a moça.(Mateus 1:20)

Meio abalado com a enxurrada de notícias que havia acabado de receber, ele resolve então ir dormir, aliviar a cabeça.

De repente é acordado por um ser diferente de todos os que já conheceu. Era um anjo, que veio lhe explicar todos os " porquês " que estavam atormentando sua mente. E antes que você pense, ele não estava sonhando.

Você muito provavelmente já conhece esta história, pois é a história que dá origem a biografia de Jesus.

O casal trata-se de José e Maria, e é sobre eles que quero falar neste texto.

Mas especificamente sobre José, homem obediente a Deus.

Não encontramos muito sobre José na bíblia, e o máximo de informações que consegui achar foi que ele era um carpinteiro muito corajoso, temente a Deus, e apaixonado por Maria. Afinal, só sendo muito apaixonado para aceitar uma mulher já com um filho em seu ventre.

José teve de fugir com Maria para Belém quando ela já estava prestes a ter Jesus, e o lugar mais aconchegante que conseguiram encontrar na noite do parto foi uma estrebaria.

Acredito que as orações de José naquele momento começavam mais ou menos assim:

Deus, eu a Maria não cometemos pecado nenhum para passar por isto. Já é noite, Maria esta prestes a ter Jesus e nós não temos nem um lugar limpo para ela ficar.
Por aqui não há médicos, um cama limpa, água quente. Não há sequer alguém que possa segurar a mão dela.
Deus, não foi bem assim que eu imaginei que meu filho nasceria, imaginei que como redentor da humanidade nós teríamos aqui milhares de pessoas trazendo presentes para o bebê, ou ao menos nossa família reunida.
As únicas testemunhas do nascimento do meu filho são ovelhas e vacas? Não foi bem isso que eu imaginei Senhor.
Fiz algo de errado? Que espécie de marido eu sou?
Quando o Senhor enviou seu anjo para falar sobre o filho que Maria estava esperando imaginei muita coisa, mas confesso que esta cena não passou por minha cabeça.
Se o Senhor não tinha um lugar melhor por que então não nos deixou ter o bebê em Nazaré mesmo? Pelo menos lá eu tinha uma casa.


É claro que a bíblia não menciona José fazendo esta oração, mas não foi difícil imaginar, afinal de contas eu muito provavelmente pensaria tudo isto.

Muitas vezes me peguei fazendo orações muito semelhantes a esta. Orações que me faziam pedir satisfações ao invés de ajudar.

É tendência do ser humano se preocupar quando as coisas não estão mais em nosso controle.

Acontece que o filho não era e nunca foi de José. O filho era de Deus, e Ele como Pai tinha todo o direito de escolher como seria o futuro que Jesus deveria ter.

Assim como o nosso futuro não está sob nossos domínios, a vontade é de Deus, e é Ele quem deve ter o controle para guiar nossas vidas.

A mesma coisa que aconteceu na noite de Belém acontece em nossas vidas, pois todos nós já experimentamos noites escuras em que as coisas fogem totalmente de nosso controle.

Muito provavelmente a sua noite escura não tenha se passado em um estrebaria. Talvez tenha sido em um hospital, um velório, ao lado da lataria amassada de um acidente, na dor de olhar a foto que te traz saudade...

Se as paredes de seu quarto pudessem falar, talvez elas contariam que também já presenciaram seus momentos de desespero.

Mas Deus faz coisas assim. O céu de Belém não foi o primeiro a ouvir os resmungos de alguém confuso com a maneira como Deus trabalha, e com toda certeza não será o ultimo.

Mesmo sem o controle da situação, temos o conforto de que é possível descansar pois a palavra do Senhor mesmo nos diz: "Porque eu bem sei os pensamentos que tenho a vosso respeito, diz o SENHOR; pensamentos de paz, e não de mal, para vos dar o fim que esperais." Jeremias 29:11

Mesmo sem saber para que caminho Deus estava os guiando José foi obediente.

Obedeceu quando o anjo falou para que ele não abandonasse Maria,

Obedeceu quando Deus os mandou sair de Nazaré,

Obedeceu quando as coisas estavam indo bem,

Obedeceu quando as coisas estavam muito ruins.

Deus ainda procura pessoas que não se questionem se é ou não sensato ouvir a voz de Deus. Procura ainda corações obedientes e sensíveis a suas ordens.

Independente da situação que José e Maria estavam vale lembrar que, Deus jamais os abandonou.

Creio que José quando pode ouvir o choro de Jesus que acabara de nascer, teve a mesma certeza.

Quando passamos a entender que os planos não são nossos, e que nossas ansiedades não irão nos confortar podemos desfrutar melhor dos cuidados de Deus para nossas vidas.

"Lance sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de você"

E o Deus de toda a graça, que em Cristo Jesus vos chamou à sua eterna glória, depois de haverdes padecido um pouco, ele mesmo vos aperfeiçoará, confirmará, fortificará e fortalecerá." ( I Pedro 5:7 e 10)

domingo, 26 de setembro de 2010

AGORA SÓ ME RESTA ...



Agora só me resta”, este é o bordão que cerca todas as histórias que contam sobre sonhos perdidos.

Talvez tenha sido esta a frase que tenha se repetido durante 40 anos na mente de nosso personagem de hoje, Moisés.

Para os que não conhecem a história de Moisés , vou tentar resumi-la em poucas palavras.

Um bebê hebreu nasce em uma época de extermínio dos bebês homens do seu povo, é colocado em um cesto e lançado no rio Nilo por sua mãe, este bebê é encontrado pela filha de Faraó que então o toma pra si e chama sua mãe para ser a “babá” , assim o menino cresceu com todo o conforto, regalia e estudo que o palácio de Faraó poderia lhe proporcionar, e também com toda a instrução que sua “babá” , e também mãe biológica , lhe cedeu.

Com tudo isto Moisés tinha tudo para ser o libertador de seu povo que vivia em escravidão no Egito.

Afinal de contas ele tinha se tornado alguém influente o suficiente para saber lidar tanto com os Egípcios que escravizavam o povo, quanto com os israelitas que eram escravizados.

Certo?

Errado.

Se correr algum tempo na história você não encontrará mais Moisés no castelo, e sim no meio deserto.
Não o encontraremos mais buscando maneiras de cuidar do seu povo, e sim pensando em como cuidar de suas ovelhas.
Não encontraremos mais um Moisés conhecido e reconhecido por todos, e sim um pastor de ovelhas em meio ao deserto que, em meu ponto de vista, não está muito a fim de ser encontrado.

O que pode ter levado nosso “principezinho” a uma vida tão diferente da que ele tinha?

Um erro que Moisés nunca conseguiu esquecer. Ele viu um egípcio batendo num escravo hebreu, perdeu o controle e matou o egípcio.

Poderíamos então pensar que o escravo agradeceria. Não foi bem assim. Em troca Moisés recebeu raiva : “Você vai me matar também?” Exôdo 2:14

Muito além da morte do egípcio, encontrei nesta parte da história uma história comum a quase todos nós.

A história do sonho perdido. A história do que você já pode ter vivido também. A história de grandes esperanças chocando-se com difíceis realidades.

Este choque foi o motivo que levou nosso protagonista a uma vida oculta em meio as ovelhas no deserto. Do palácio para o deserto, do glamour para o anonimato, das melhores universidades para uma fazenda ...

Parece que nem é preciso me esforçar muito para ouvir Moisés dizer: “Agora só me resta” ficar aqui e apascentar ovelhas.

Assim como eu e você ao presenciarmos em nossas vidas este choque entre esperanças e realidades podemos dizer: “ Agora só me resta” ... ficar aqui e chorar, desistir de tudo isto,não tentar mais, esquecer ...

Mas é lá no meio do deserto, quarenta anos mais tarde, que Deus resolve finalmente chamar Moisés para então libertar seu povo. Exôdo 3: 1-6,9-10

E a resposta de Moisés ao chamado é : “Quem sou eu para apresentar-me ao faraó e tirar os israelitas do Egito?” Exôdo 3:11

A meu ver Moisés estava embutindo algumas outras questões dentro desta, questões como:

Por que agora?, Eu já não tentei fazer isto? , Já se passaram 40 anos, Aquele povo não quer ser liberto, Parece-me que as minhas ovelhas são muito mais fáceis de tratar.

A resposta de Deus às muitas questões de Moisés foi resumidamente: EU SOU O QUE SOU Exôdo 3:14 ; ou seja, Eu sou Deus e sei o que faço.

O mesmo Deus que tinha planos pra vida de Moisés é o Deus que disse: “Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos os meus caminhos ... “ Isaías 55:8

Talvez eu e você escolheríamos o Moisés jovem, com força, garra, e influência. Mas Deus não.

Com seus 40 anos no deserto Moisés aprendeu a localização de todos os poços possíveis, casou-se e teve sua própria família e com isso teve que aprender a guiá-la em meio ao nada do inabitado, Moisés se conheceu no deserto.

Deus, com seus planos bem mais altos que os nossos, usou o deserto para ser a melhor universidade que Moisés já poderia ter cursado.

E é exatamente isto que o Pai de amor faz conosco.

Enquanto nós dizemos “Agora só me resta” Ele planeja usar nossos desertos como degraus que nos levarão aos planos maiores d’Ele pras nossas vidas.

Deus sempre tem um propósito para todas as coisas querido, e “Estou convencido de que aquele que começou a boa obra em vocês vai completá-la até o dia de Cristo Jesus.” Filipenses 1:6

Deus falou com Moisés através de um arbusto, o que quer dizer que Ele pode muito bem falar com você através de muitos meios. Talvez o meio escolhido por Ele hoje tenha sido este texto.

domingo, 19 de setembro de 2010

TÚMULOS E MORTALHAS



Se na época de Cristo houvesse tele jornais, os noticiários revelariam em todas as manchetes: “Tumulo vazio”.
A repórter talvez começasse seu furo de reportagem com:

“ Bom dia, noticia extraordinária!!
Estamos aqui na cena onde aconteceu um mistério.
Nesta sexta feira foi crucificado no Golgota um homem de 33 anos chamado Jesus.

Este homem trabalhava como carpinteiro, mas há cerca de 3 anos passou a viajar pelo interior da Judéia, juntamente com mais 12 homens, pregando uma nova religião onde afirmava ser o filho de Deus.

Contam algumas testemunhas que o numero de pessoas que o seguiam era espantosamente grande, e que por onde ele passava eram realizados milagres.

Ao investigar sua morte, a única explicação que encontramos para a crucificação foi que por conseguir muitos seguidores Jesus acabou por desagradar a grande maioria de líderes religiosos da Palestina. Já as autoridades nos afirmaram, mesmo sem provas, que o homem era acusado de traição e blasfêmia.

Ainda na sexta feira, coincidentemente no mesmo horário em que a cidade ficou em total penumbra, Jesus morreu após grande tortura.

Ele foi tirado da cruz e sepultado em um túmulo doado pelo honrado senador José de Arimatéia. Parece que o senador era um seguidor secreto de Jesus.

Testemunhas nos contam que Nicodemos, o príncipe dos judeus, doou mortalhas de linho fino para que Jesus fosse embalsamado, e então , por fim sepultado.

O tumulo foi fechado por uma pedra muito grande - aquela que vocês podem ver ao fundo da imagem – e guardas de Jerusalém acamparam em frente ao túmulo durante todos os dias para que o corpo não fosse roubado por um dos discípulos.

Hoje, domingo pela manhã, para a surpresa de muitos o túmulo de Jesus amanheceu vazio, e um fato muito curioso é que as mortalhas encontram-se no chão e dobradas dentro da sepultura.

A notícia tem corrido pela cidade, e o mistério permanece como pergunta na cabeça de todos. O que teria acontecido? Onde fora parar o corpo do tal carpinteiro?

Aqui quem fala é Maria para o Jerusalém notícias.”


É claro que a notícia não foi divulgada desta maneira, mas acho que com esta analogia deu pra se ter idéia do tamanho do alvoroço que foi causado em Jerusalém assim que Jesus ressuscitou.

Eu estava lendo a história de morte de Jesus, e desta vez acabei por perceber dois novos personagens que até então nunca tinha reparado.

São eles José de Arimatéia e Nicodemos

Neste texto vamos conhecer um pouquinho mais destes dois discípulos ocultos.


José de Arimatéia – Pelo que pude encontrar sobre este homem na bíblia , consegui perceber que era um bom homem, bem sucedido, justo, bom, discípulo de Cristo, esperava o reino de Deus, porém José possuía algo que lhe afastou de Jesus. José tinha medo.

João em seu evangelho nos conta que Jose era o discípulo mais oculto por ter medo dos judeus

Isto me fez imaginar quantos milagres José deixou de presenciar, quantas maravilhas deixou de assistir, quanto tempo perdeu por ter medo de ser visto ao lado de Jesus.

José não deixou de seguir a Cristo, mais não teve a totalidade de sua presença.

Porém sua história não se encerrou o deixando com a imagem de um medroso. Após a morte de Jesus José foi a Pilatos que era a autoridade maior, e “... e ousadamente foi a Pilatos, e pediu o corpo de Jesus.” ( Marcos 15:43)


Pra mim, foi como se José ao ver seu Mestre sendo castigado por seus pecados abrisse os olhos e enxergasse que não há nenhuma razão para temer quando se luta por Jesus.

Nicodemos – Ele aparece três vezes no Evangelho de João.
No primeiro, e mais famoso, incidente, Nicodemos ,que era o príncipe dos judeus, visita Jesus à noite, presumidamente para evitar detecção por outros da liderança Judaica.

Nesta conversa com Jesus Nicodemos “ ... foi ter de noite com Jesus, e disse-lhe: Rabi, bem sabemos que és Mestre, vindo de Deus; porque ninguém pode fazer estes sinais que tu fazes, se Deus não for com ele.” João 3 v2

Nicodemos é mencionado novamente quando os Fariseus e os principais do sacerdotes procuram prender Jesus enquanto ele freqüentava a Festa do Tabernáculo em Jerusalém (João 7:45-53). Neste momento vemos Nicodemos tentando evitar que a prisão fosse feita : “ Nicodemos, que era um deles (o que de noite fora ter com Jesus), disse-lhes: Porventura condena a nossa lei um homem sem primeiro o ouvir e ter conhecimento do que faz? “ João 7 v 50 -51

Este mesmo Nicodemos, assim como José de Arimatéia , também era um discípulo oculto de Cristo. Era como se os dois não tivessem fé o suficiente para apoiar publicamente a Jesus.

A terceira aparição de Nicodemos se deu junto com José no sepultamento de Jesus. Neste dia a bíblia nos conta que Nicodemos levou consigo generosas quantidades de especiarias para ajudar José a preparar o corpo de Jesus e então colocá-lo no sepulcro, fazendo assim publico seu discipulado.

Ou seja, agora sim podemos concluir. Tanto José quanto Nicodemos só assumiram o papel de discípulos de Jesus após a sua morte.

José ofereceu seu túmulo, e Nicodemos ofereceu sua mortalha.
Ao meu ver, suas oferendas soaram como se eles estivessem tirando as mortalhas da vergonha e saindo do tumulo do medo para assumir perante todos que eram discípulos do amor de Cristo.

É claro que Jesus não precisava destes dois adereços pois sabia que ao terceiro dia ressuscitaria, mas os dois discípulos ocultos precisavam honrar a Jesus assumindo suas posições de servos, nem que isto só tivesse acontecido na hora da morte de seu Mestre.

Acredito que a maneira mais preciosa que Jesus encontrou pra dizer aos dois que aceitava seus sacrifícios, foi quando após o 3º dia foi encontrada o tumulo vazio com as mortalhas dobradas.

Foi como se Jesus estivesse dizendo: José, eu assumi seu tumulo pra que você fosse livre de seus medos, mais agora que você é livre e eu não preciso mais dele.

Nicodemos, eu usei suas mortalhas da vergonha para que você pudesse ser livre delas. Agora nós dois não precisamos mais delas.

E é assim que Jesus age conosco também. Embora você não perceba ele te diz :

Você não precisa mais chorar porque eu já derramei minhas lágrimas por você,
Você não precisa mais ser escravo do pecado, Eu morri por eles.
Não precisa mais sentir dores, por que Eu tomei pra mim todas as suas dores,
Não há mais necessidade de carregar sua cruz sozinho, Eu fui capaz de carregar a minha, te ajudo a carregar a sua também,

...

No terceiro dia Jesus ressurgiu, deixou o túmulo, as mortalhas, as dores, a morte, e apareceu aos seus discípulos.
Tenho pra mim que José e Nicodemos também tiveram o prazer de ver a Jesus após sua ressurreição, pois agora já haviam assumido seus postos de discípulos.

É exatamente este o acordo que Jesus deseja fazer conosco.
Ele nos liberta de túmulos,
mortalhas,
medos,
vergonhas,
tristezas,
pecados,
solidão,
depressão ...

E em troca disto nos colocamos na posição de discípulos do seu amor.
Discípulos ocultos não presenciam milagres, não caminham ao lado de Cristo.
Discípulos públicos são libertos, não precisam mais de túmulos nem mortalhas, nem medos nem vergonhas.

Escolha que tipo de discípulo você quer ser.

domingo, 12 de setembro de 2010

ELE TINHA PLANOS


Dentre os 12 discípulos que Jesus escolheu havia um em particular que era rejeitado pela sociedade. Este era Mateus.

Nos tempos de Jesus, o governo romano coletava diversos impostos do povo palestino.
Pedágios pra transportar mercadorias por terra ou por mar eram recolhidos por coletores particulares, os quais pagavam uma taxa ao governo romano pelo direito de avaliar esses tributos. Os cobradores de impostos auferiam lucros cobrando um imposto mais alto do que a lei permitia.Este coletores eram chamados de publicanos.

Mateus cobrava impostos também dos pescadores que trabalhavam no mar da Galiléia e dos barqueiros que traziam suas mercadorias das cidades situadas no outro lado do lago, ou seja, Mateus não era um simples cobrados de impostos e sim um cobrador de impostos dos pobres.

Os bons costumes eram claros, basicamente um bom judeu não se associaria com publicanos
(Mt 9.10-13).

Caso Jesus pergunta-se a algumas pessoas se realmente valia a pena investir em Mateus a resposta seria : é claro que não, ele é publicano.

Porém em certo dia, após a realização de alguns milagres Jesus passando no caminho viu Mateus
sentado e lhe fez o convite Segue-me, e sem muito pensar Mateus levantou-se e o seguiu.
( Mt 9 v9)

Mateus não havia sido apresentado a Jesus ainda, mas sua vida deveria estar tão sozinha e vazia que ele não precisou de nada mais do que uma palavra pra decidir mudar seu caminho.

Mateus deveria estar cansado de sua maneira de viver.

Jesus disse "Segue-me", e Mateus o seguiu.

A sociedade poderia dizer que ele não valia grande coisa, porém Jesus tinha planos para Mateus.
Tinha planos e investiu para que ele se tornar-se um grande homem usado nas mãos de Deus

Evidentemente, Mateus era um homem rico, porque ele deu um banquete em sua própria casa.
"E numerosos publicanos e outros estavam com eles à mesa" (Lc 5.29).
O simples fato de Mateus possuir casa própria indica que era mias rico do que o publicano típico.
Por causa da natureza de seu trabalho, temos certeza que Mateus sabia ler e escrever. Os documentos de papiro, relacionados com impostos, datados de cerca de 100 dC, indicam que os publicanos eram muito eficientes em matéria de cálculos.

Ou seja, a sociedade via apenas um homem sem muita índole, Jesus viu alguém capaz de escrever o evangelho de maior influencia da bíblia.

Jesus tinha planos para Mateus.

Agora Imagine você com dinheiro para ir até uma concessionária e comprar um carro modelo 2011.
completo, bancos de couro, direção hidráulica, cambio automático, todos os sensores imagináveis.

Você olha, pensa um pouquinho e resolve dar uma volta pra tomar a melhor decisão.

Você atravessa a rua e passa em frente a um ferro velho, lá no ferro velho há um fusca todo quebrado, já não há mais bancos, sem pneus, lataria podre e amassada, vidros quebrados.

Você se anima e descobre que ali está seu carro.

O dono do ferro velho, que à pouco tempo o viu sair da concessionária pensa que você só pode estar enlouquecendo.

Você pede que ele faça o preço, e ele se aproveita para pedir um valor alto pelas condições do fusquinha.

Como você tem planos para o "carro" se dispõe a pagar.

Você o leva pra casa, manda fazer os estofados de couro, reforma a lataria inteira, refaz todo o motor, paga um preço muito maior do que o fusquinha vale só para vê-lo rodando novamente.

Seu orgulho maior agora é passear com o carro e saber que ele é seu.

Fazendo uma analogia, Jesus assim como você na história acima poderia escolher qualquer um.
Poderia escolher somente os poliglotas, os mais ricos, com a ficha mais limpa.
Porém ele escolheu pessoas que assim como Mateus, eu e você.
Pessoas que não tinham muito além de um coração disposto a o amar.

Quando Ele nos escolheu muitos o questionaram, o chamaram de louco.

Porém a bíblia mesmo nos conta que a “ loucura de Deus é mais sábia do que os homens; e a fraqueza de Deus é mais forte do que os homens.”


Jesus nos escolheu, e investiu em nossas vidas para que pudéssemos ser úteis em sua obra.

Assim como o dono do fusquinha acima, Jesus pagou um preço alto por nossas vidas, nos restaurou, nos limpou e nos revalorizou.

E ele não fez isto em vão.
Ele fez isso porque tinha planos.

Se Deus fosse um Deus mesquinho, muito provavelmente nos " reformaria" e nos colocaria em vitrines.
Mas Ele espera mais que isso, Ele quer nos usar.
Ele deseja mostrar através de nossas vidas tudo o que fez conosco.

Assim como na época de Cristo hoje também somos chamados para sermos parte dos planos de Deus.
Assim como foi com os discípulos, Jesus também tem propósitos pra sua vida.

Só Ele tem o poder de restaurar suas feridas, limpar seu coração e te transformar em um belo instrumento usado por Deus, porém ele não invadirá seu coração.

Ele chamou e Mateus resolveu segui-lo, sua vida foi transformada e ele viveu os planos de Deus.

Hoje Ele te chama "Segue-me", e você pode escolher se continuará a ser um espectador sentado a beira do caminho ou se será um personagem da história que Deus planejou.

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

PREPARADO ?



Certa vez li em um livro uma história sobre uma menininha e sua pata que me chamou muita atenção.

A história contava que quando a garotinha tinha cerca de 10 anos de idade, chegou em casa e correu para encontrar sua patinha, como sempre fazia, porém naquele dia , ela acabou por encontrar sua patinha afogada em uma lagoa que havia em seu quintal.

Além da decepção da garotinha, surgiu também uma interrogação aos pais da menina. Como uma pata poderia ter morrido afogada?

Os pais levaram a patinha já morta a um veterinário, e então levaram a questão a ele: “Foi um suicido ou um homicídio?”

A resposta foi breve : “Nem uma coisa nem outra, a pata simplesmente não se preparou adequadamente. “

Sabem, os patos precisam revestir-se de um óleo especial que os torna à prova d’água e que é expelido entre suas asas. Por algum motivo, ela não o fez, e por isso, quando foi nadar, sua penas absorveram a água e ela afundou como uma pedra.

A história pode parece muito simples para você, mas confesso que ela falou muito comigo.

Por alguns momentos passei a me comparar com a patinha da história.

Posso escrever textos que falem do amor de Jesus, ou de como devemos ser cristãos, mas se não estiver preparada provavelmente acabarei por me afogar em alguma lagoa que possa surgir em meu caminho.

E estas lagoas aparecem a todos os momentos. E por mais que eu tente me iludir achando que posso passá-las sozinha, eu não conseguirei.Muito provavelmente você também não consiga.

São lagoas do tipo:

Sou forte o suficiente para parar de beber quando eu quiser.
Sou forte o suficiente para dizer não as más companhias quando eu bem entender.
Sou forte o suficiente para voltar ao primeiro amor quando desejar voltar.
Sou forte o suficiente ... Eu acredito em Deus, e é claro que isso já é o suficiente.

Infelizmente não meu querido. Seria muito mais fácil se tudo acontecesse assim, mas a tal preparação que nos deixa forte não depende de nossas forças.

A palavra de Deus nos fala sobre o quanto devemos nos preparar . Paulo nos diz que precisamos nos “revestir da armadura de Deus” Ef 6 v11, e o ato de se revestir é mencionado muitas vezes na bíblia.

Em 1 Pedro somo recomendados a nos revestir de humildade : “ ... e revesti-vos de humildade, porque Deus resiste aos soberbos mas dá graça aos humildes.” 1Pe 5 v5

Em Lucas Jesus nos diz: “Ficai porém, até sejais revestidos de poder” Lc 24v 49b

E em muitos outros textos somos orientados a estar protegidos, só que muitas vezes nos esquecemos que para estar protegidos é necessário estar revestido.

Assim como os patos precisam de um óleo que os permite estar sobre e não sob a água, nós também precisamos nos recobrir de um óleo preparatório para fazer parte do mundo e não estar sob ele.

Por mais que você as vezes ache que não. A única maneira de se cobrir deste óleo é buscando cada dia mais a presença de Jesus e reconhecendo que sem este “óleo” nos encharcaremos e afundaremos.

Ao relembrar alguns milagres da bíblia pude perceber que , em sua maioria, foram realizados quando os necessitados assumiram que precisavam da proteção de Deus.

Dois destes milagres, já contados em outros textos, nos mostram como afundamos como pedra se não tivermos o óleo que nos protege:

Pedro clamou e Jesus não deixou que ele se afogasse. ( Mt 14 v22-33)

Moisés clamou para que Deus os livrasse da fúria de Faraó e Deus abriu o mar vermelho. (Êx 14 v 15-26)

Sem a proteção de Deus estas historias teriam tido um fim diferente, mas quando reconheceram que não eram capazes sozinhos e que precisavam se preparar, o óleo protetor do espírito santo de Deus pode lhes conceder a força e a proteção que os deixará preparados.

Talvez a patinha não tivesse se dado conta de que não estava preparada. Mas nós temos a noção de quando não estamos em nossa melhor forma espiritual.

Sem Jesus você não caminhará sobre as águas.
Sem Deus você não passará por um mar aberto.
Sem Ele suas asas ficaram encharcadas. Sem Ele você afundará.

Mas com Ele você estará preparado.

domingo, 29 de agosto de 2010

CONFIANÇA



Entrega o teu caminho ao SENHOR; confia nele, e o mais ele fará. Sl 37 . 5
E o SENHOR os ajudará e os livrará; ele os livrará dos ímpios e os salvará, porquanto confiam nele. Sl 37- 40


Quando criança costumava brincar com meu pai de uma brincadeira muito peculiar de crianças pequenas, eu brincava de confiança.

Talvez você já tenha brincado também, mas não saiba que este era o nome dado a esta brincadeira por minha família.

Confiança consistia em uma só coisa pra mim naquela época. Confiança era quando eu fechava os olhos e simplesmente soltava todo o peso do meu corpo para trás, para que meu pai pudesse me pegar quando eu estivesse muito próxima do chão.

Acredito que todos, ao menos uma vez, já brincaram de confiança.

Para mim naquela época a brincadeira não tinha outro sentido se não sentir o gostoso friozinho na barriga que vinha quando eu lançava meu peso. Eu, se quer podia ligar o nome da brincadeira ao sentimento real de confiança.

Não havia porque ter medo, meu pai estava atrás de mim. Ele certamente iria me segurar. Ele era forte e grande o suficiente para isso.

E eu estava certa. Ele nunca me deixaria cair.

Meu pai sempre fora um exemplo de pai pra mim, o que me ajudou muito a entender a relação pura do amor de Deus para conosco.

Eu ainda não podia entender muita coisa, quando ouvia minha mãe contar do dia em que meu pai quebrou os dentes lançando-se no chão para não deixar meu irmão cair. Tenho pra mim que se necessário fosse , meu pai daria sua vida naquele momento apenas para que meu irmão não sofresse as conseqüências da queda.

Pois bem, depois de alguns anos consegui compreender que confiança não era só uma brincadeira.
Confiança estava além do friozinho na barriga, confiança era deixar de analisar todas as possibilidades de cair no chão e simplesmente ter a certeza de que nenhum mal me aconteceria.

Pois bem, quando passei a pensar desta forma passei a olhar com outros olhos o texto:
“Entrega o teu caminho ao SENHOR; confia nele, e ele o fará." Sl 37 v.5

pois o texto poderia ser escrito como :
Entrega o teu caminho ao Senhor, deixe de analisar todas as possibilidades de erro e o mais Ele fará."

Hoje, com todo o meu "Adultismo" e meus leves, porém perceptíveis, traços de futura engenheira, eu começaria a analisar o meu peso, o impacto que isto poderia causar sobre o chão, e por sua vez, o impacto que isto teria sobre minha cabeça.

Pensaria: “Mas e se bem na hora o telefone tocar? Mas e se meu pai se distrair? Mas e se ele não agüentar?"

Ou seja, eu analisaria todas as possibilidades de erro, e com isso muito provavelmente eu não brincaria mais de confiança, e se brincasse meu medo tiraria toda a diversão da brincadeira.

Talvez todas estas análises só repercutissem em uma só pergunta: Até que ponto vai a minha confiança em meu pai?

Eu acredito que foi exatamente a resposta desta pergunta que Deus desejava quando mandou o povo de Israel para acampar entre 3 montes e o mar.


" Fala aos filhos de Israel que voltem, e que se acampem diante de Pi-Hairote, entre Migdol e o mar, diante de Baal-Zefom; em frente dele assentareis o campo junto ao mar." Êxodo 14. v. 1

Não entendeu?
A história se deu resumidamente assim:

O livro de êxodo conta como foi Deus libertou o povo de Israel que estava como escravo no Egito.

Deus manda Moisés resgatar o povo do Egito que estava vivendo em escravidão.
Moisés vai até Faraó, lhe informa que veio libertar o povo e Faraó não aceita a proposta de Moisés.
Deus manda 7 pragas, e no final destas 7 pragas o coração de Faraó sede.
Faraó libera o povo para ir embora.

Até aqui já foram mais ou menos 13 capítulos de uma bela história.
Porém no capitulo 14 do livro de êxodo, Deus fala a Moisés:

" 2. Fala aos filhos de Israel que voltem, e que se acampem diante de Pi-Hairote, entre Migdol e o mar, diante de Baal-Zefom; em frente dele assentareis o campo junto ao mar.

3. Então Faraó dirá dos filhos de Israel: Estão embaraçados na terra, o deserto os encerrou.
4. E eu endurecerei o coração de Faraó, para que os persiga, e serei glorificado em Faraó e em todo o seu exército, e saberão os egípcios que eu sou o SENHOR. E eles fizeram assim.


( Êxodo 14)

Pra quem não sabe, Pi-Hairote, Migdol e Baal-Zefom eram três montanhas que beiravam o mar vermelho, ou seja, Deus estava mandando o povo para um beco sem saída.

E foi exatamente isto que eu senti quando li esta parte do texto.
Foi como se Deus estivesse dizendo: “Moisés, leva esta multidão para aquele beco sem saída e eu deixarei Faraó furioso para ir atrás de vocês.

E sem perguntar o porquê, sem questionar, sem analisar as possibilidades de erro o povo obedeceu as ordens do Senhor.

Quer maior exemplo de confiança do que isto?

É claro que Moisés sabia o tamanho e a força do Pai que falava com ele. É claro que ele sabia que Deus era capaz de cuidar deles em qualquer situação.

Não posso deixar de mencionar que quando o povo de Israel viu o exército de Faraó se aproximando sentiram medo, e pior, pensaram até em voltar para o cativeiro.

Porém , quando Moisés clamou a Deus e ouviu que deveria marchar e confiar em seu Poder, a confiança no Pai foi restaurada

E foi exatamente isso que aconteceu.
Moisés viveu um dos maiores milagres da humanidade. Deus simplesmente abriu o mar vermelho, fez o povo passar em terra seca e afogou os soldados de Faraó.

" 21. Então Moisés estendeu a sua mão sobre o mar, e o SENHOR fez retirar o mar por um forte vento oriental toda aquela noite; e o mar tornou-se em seco, e as águas foram partidas

22. E os filhos de Israel entraram pelo meio do mar em seco; e as águas foram-lhes como muro à sua direita e à sua esquerda.

23. E os egípcios os seguiram, e entraram atrás deles todos os cavalos de Faraó, os seus carros e os seus cavaleiros, até ao meio do mar.

...
28. Porque as águas, tornando, cobriram os carros e os cavaleiros de todo o exército de Faraó, que os haviam seguido no mar; nenhum deles ficou

29. Mas os filhos de Israel foram pelo meio do mar seco; e as águas foram-lhes como muro à sua mão direita e à sua esquerda.
" ( Êxodo 14)


Deus jamais os deixaria cair. Deus jamais os deixaria afogar. Deus honrou a confiança de Moisés.

E hoje não é diferente, a mesma pergunta aparece pra mim e pra você em "n" situações da vida.

" ATÉ QUE PONTO VOCÊ CONFIA EM MIM?"

Deus testa a minha e a tua confiança na dificuldade querido, sempre foi assim.

A confiança é testado quando o dinheiro esta acabando,
Quando as notas não vão bem,
Quando a tristeza chega,
Quando aquele velho problema volta pra te assombrar,
Quando a saudade aperta o coração,
Quando a doença aparece ...

Deus, assim como meu pai quando eu era criança, é forte o suficiente pra te segurar quando você estiver prestes a cair. E muito mais , ele leva isto as ultimas conseqüências.

Nem que seja preciso sacrificar o seu bem mais precioso só pra te ver sorrir.

Confiar em Deus é ter a certeza que haja o que houver, custe o que custar, Ele nunca te deixará cair.
Confiar em Deus é deixar de analisar todas as possibilidades de erro tendo certeza que elas não ocorreram.
A vida fica mais leve quando se confia em Deus.

Todo pai anseia pela confiança do filho, e Deus anseia e espera pela tua confiança.

Entrega o teu caminho ao SENHOR; confia nele, e o mais ele fará. Sl 37 v.5
E o SENHOR os ajudará e os livrará; ele os livrará dos ímpios e os salvará, porquanto confiam nele. Sl 37 v.40

domingo, 22 de agosto de 2010

E TU, QUEM DIZES QUE EU SOU?


"E tu, quem dizes que eu sou?!" (Mc 8, 29a)

Foi com esta pergunta que meu dia começou hoje, e foi com esta pergunta que Jesus iniciou uma conversa com seus discípulos.

Jesus foi até seus 12 companheiros, e começou a investigar qual seria a opinião publica ao seu respeito.

Então lhes questionou: “ Quem dizem os homens que eu sou” ( Mc 8, 27), e foi como se Jesus estivesse dizendo, “ o que estão falando ao meu respeito?”

E as respostas começaram a surgir. Alguns respondiam “João Batista”, outros “ Elias” , e outros “ Um dos profetas”.

Eu acredito que foi como se Jesus estivesse ouvindo: “Eles não te conhecem, não sabem ao certo quem Tu és”.

Jesus resolveu, portanto aprofundar sua pesquisa de opinião publica: "E tu, quem dizes que eu sou?" (Mc 8, 29a)

Pra mim essa frase teve o mesmo sentido de “ vocês me conhecem?”, “ sabem quem eu sou?.”

Aí resolvi fazer uma pausa na história e pensar nas inúmeras respostas que Jesus poderia ouvir.

Bartimeu, o cego que teve sua escuridão abolida pelas mãos de Jesus poderia responder:
Sim Jesus, eu te conheço. Sei que és aquele que foi capaz de me tirar de uma vida escura e me fazer enxergar as inúmeras belezas que existem na vida. Tu és que me fez enxergar.”

Lázaro, aquele amigo de Jesus que passou 4 dias morto e depois ressuscitou diria:
Sim Cristo, eu sei quem tu és. És o meu amigo, aquele que repousa em minha casa quando estás passando de viagem.
Aquele que me chamou da morte para a vida. És quem me fez renascer
.”

A viúva que só tinha 3 moedinhas para ofertar diria : “Sim, eu sei quem tu és. És aquele que não se importou com as minhas riquezas, que não olhou para os meu bens. És aquele que conseguiu enxergar a gratidão da minha alma através de 3 moedinhas. És aquele que aceitou minha humilde oferta

O garotinho que emprestou a Jesus 5 pães e 2 peixinhos falaria: “Eu sei que és alguém capaz de realizar milagres, pois, foi o único que foi capaz de saciar uma multidão com o lanche que minha mãe havia preparado para mim. Tu és aquele que saciou uma multidão

A viúva de Naim que tinha seu filho morto diria: “Tu és aquele que teve compaixão do meu sofrimento e que foi capaz de , com apenas um toque, trazer de volta a alegria que havia se esvaído quando meu filho único morreu. Tu és aquele que ressuscitou meu filho

Zaqueu diria: “Ah Jesus, Tu és aquele que se achegou a mim sem se preocupar com todas as injustiças que eu já havia cometido. Foste tu quem me viu em cima de uma árvore e dormiu em minha casa. Tu és quem me tornou alguém melhor

A mulher que sofreu durante 12 anos com um fluxo de sangue diria: “Tu és aquele que derramou sobre mim virtude, e que foi capaz de me curar depois de tantos e tantos anos de sofrimento. Tu és quem me curou.

Acho que já deu pra perceber que eu poderia ficar por páginas e páginas dizendo sobre as inúmeras respostas que teríamos sobre quem é Jesus, mas o que eu gostaria de frisar é que essas pessoas só sabiam dizer com certeza quem era Jesus, pois haviam tido experiências com ele.

Assim também aconteceu com o Pedro, quando Jesus lhes perguntou “E tu, quem dizes que eu sou” Pedro respondeu prontamente: Tu És o Cristo.

Pedro sabia quem era Jesus porque ele havia tido experiências particulares com Ele.

E é assim também conosco.
Eu poderia dizer: Eu sei quem Tu és Jesus. Tu és aquele que foi capaz de preencher o enorme vazio do meu coração, que me livrou da morte, do mundo, do mal ...

Mas essas palavras só terão seu real sentido pra mim, pois eu tenho a noção de quem é Jesus em minha vida.

Sem experiências reais com Jesus sua resposta será apenas: “Jesus é o protagonista do novo testamento”, “ Jesus foi alguém que marcou a história”, enfim as respostas não terão impacto em sua vida.

Quando encontramos e vivenciamos o amor de Deus passamos a perceber que Jesus é o protagonista de nossas vidas, e que ele é quem marca a nossa história.

Eu posso te dizer quem Jesus pode ser em sua vida. Posso dizer que ele pode ser aquele que:
Te fará enxergar uma nova vida,
Pode te fazer renascer,
Aceita tua humilde oferta,
Sacia tua fome,
Ressuscitar tuas alegrias,
Te torna alguém melhor,
Te cura ...

Mas, se você for responder a pergunta tema de nosso texto precisará ter uma resposta única, e não há outra maneira de saber quem é Ele sem conhecê-lo.


"E tu, quem dizes que eu sou?!"

domingo, 15 de agosto de 2010

PARA SEMPRE OU NUNCA MAIS ?


Qual foi o ultimo pra sempre que você acreditou?

Não sei se é muito pessimismo de minha parte, mas depois de certa altura da vida deixei de acredita na real existência das frases que continham as palavras nunca e para sempre.

Isso representou pra mim como se eu colocasse uma barreira que me impedisse de acreditar em ilusões. E eu poderia apostar que eu não fui a única.

Deixei de acreditar nos “Pra sempre vou te amar” , “ nunca vou te abandonar” , “nossa amizade durará para sempre”, ...

E passei a acreditar que tudo, absolutamente tudo na vida, tem um fim.

Em partes, eu não estava totalmente errada. Somos orientados a acreditar que realmente nada será pra sempre, mas há alguém que tem o poder de mudar essa idéia, e esse alguém é um tal carpinteiro de Nazaré chamado Jesus.

A história de hoje está baseada no capítulo 4 do livro de João no novo testamento, e conta sobre certa mulher Samaritana.

Jesus estava voltando da Judéia e indo para a Galiléia e neste caminho teve de passar em Samaria.
Lá em Samaria Jesus resolveu parar na fonte de Jacó, que era o lugar onde se pegava água, pois estava cansado e já estava tarde (Versículo 6).

De repente chega uma mulher samaritana para tirar água da fonte, o que era muito comum, pois naquele tempo eram as mulheres as responsáveis por buscar a água; mas, o que não era comum, é que esta mulher não é o que nós poderíamos chamar de exemplo da sociedade.

A mulher era de um povo já excluído naquela época, e era adultera. Enfim, aquele tipo de gente que não costuma ter muitos amigos.

Mas, logo que a mulher chegou Jesus rompeu o silêncio dizendo: Dá-me de beber.


A resposta da mulher foi rápida: “Disse-lhe, pois, a mulher Samaritana: Como, sendo tu judeu, me pedes de beber a mim que sou mulher samaritana? (porque os judeus não se comunicam com os samaritanos).” (versículo 9)

A mulher não ficou surpresa somente porque Jesus era judeu e ela samaritana. Ficou surpresa, pois ninguém costumava falar com ela, muito menos pra dividir a mesma água que ela

Todos a rejeitavam.

Mas a conversa entre os dois prossegue e Jesus explica a mulher que se ela pedisse, ele poderia lhe dar a água da vida.
O diálogo continua até que Cristo profere a seguinte frase: “Qualquer que beber desta água tornará a ter sede.
Mas aquele que beber da água que eu lhe der nunca terá sede, porque a água que lhe der se fará nele uma fonte de água que jorre para a vida eterna.
” ( versículos 13b e 14)

Sim, o nunca está grifado na frase acima, e está grifado para que você possa perceber que ele realmente existe na frase, e, mais do que isso, nas palavras de Jesus o “nunca” faz todo o sentido.

Eu não te aconselharia acreditar neste “nunca” se essa frase tivesse sido dita por mim, mas ela foi dita pelo autor da verdade.

A palavra nunca só terá um sentido real quando pronunciada pelo Mestre Jesus, pois Ele, e somente Ele, tem a autoridade para dizer:

Você nunca mais estará sozinho
Eu nunca vou te abandonar
Você nunca mais terá fome
Nunca mais sofrimento
Nunca me esqueci de ti ...

Essa lista poderia ser infinita, pois qualquer frase que possua esta palavra se torna verdade se mencionada pela boca do autor da salvação.

Assim acontece também com o “Pra sempre”.

Quando o escritor disse em Eclesiastes Cap.3 - v.14 “Eu sei que tudo quanto Deus faz durará eternamente; nada se lhe deve acrescentar e nada se lhe deve tirar. E isto faz Deus para que haja temor diante dele.” Ele com toda a certeza já havia experimentado o prazer de acreditar no pra sempre de Deus.

E você, se quiser, também pode acreditar neste pra sempre, não por que eu estou lhe escrevendo que ele existe e sim porque está escrito no livro de verdades absolutas, chamado bíblia.

Pra sempre felicidade
Pra sempre estarei contigo
Pra sempre adorando ao Rei dos reis...

E se depois deste texto as minhas palavras ainda não fizerem muito sentido a você, basta lembrar que os cegos que ele curou nunca mais voltaram para a escuridão, os surdos nunca mais viveram no silencio, a mulher do fluxo de sangue nunca mais sofreu com sua hemorragia, os paralíticos nunca mais se prenderam as suas camas,...

Eu nunca mais fui a mesma depois que o encontrei.

O pra sempre e o nunca mais só fazem sentido na voz do Dono da eternidade.